Contra Helicoverpa: Benzoato de emamectina é contrabandeado do Paraguai

De acordo com agricultores da região, o benzoato de emamectina está sendo contrabandeado para o Brasil através da fronteira seca com o Paraguai. A substância ainda não tem autorização de uso no País, mas é uma das poucas com eficácia no combate à Helicoverpa armigera.

“Tem aumentado a apreensão destes produtos, ainda mais agora por causa da Helicoverpa. Como não tem produto no Brasil, acho que deve ter importado muito do Paraguai estes produtos”, diz o superintendente do Ministério da Agricultura em Mato Grosso do Sul, Jair Barelone.

Um produtor da região (que não quis se identificar) revelou o site Soja Brasil que “o produtor fica desesperado vendo a sua lavoura perdendo grande parte, entra em desespero e usa todas as armas que pode, uma delas é o contrabando deste produto. Há vários produtores que estão usando, devido os nossos 300 km de divisa seca. Há muita facilidade para que este produto venha para cá. Vem em embalagem disfarçada com nomes de produtos brasileiros e dentro está este veneno que está sendo usado aqui no Brasil. Claro que pela lei do Brasil não permitir o uso dele, força o contrabando de lá para cá”.

Um comerciante conta que “o benzoato entra disfarçado no Brasil. São indústrias de embalagem que tem dentro do Paraguai que fazem a embalagem que for preciso, colocam o produto dentro e vêm para o Brasil parecendo um produto daqui. Ele, inclusive, vem lacrado”.

A secretária de Agricultura do MS, Teresa Cristina, justifica que “são 700 quilômetros de fronteira seca. É muito difícil fiscalizar. O Ministério da Agricultura faz fiscalização, a Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal, que é responsável pelo vazio sanitário, vai às propriedades e, se achar, complica a vida do camarada. Além disso, tem uma multa enorme e o produto é aprendido. O produtor responde criminalmente”.

Sobre o autor

Deixe uma resposta

*

captcha *