Expedição avalia viabilidade de escoamento dos grãos de Mato Grosso do Sul pelo Pacífico

Cerca de cem pessoas percorrerão de caminhonetes os 2,7 mil quilômetros que separam Campo Grande do porto de Iquique, no Chile

Mato Grosso do Sul registrou crescimento de 20% na safra de soja e de 17,8%, de milho safrinha somente no último ciclo de colheita, chegando a 6 milhões e 7,8 milhões de toneladas, respectivamente. Na mesma proporção em que eleva progressivamente a produção, o Estado tem ampliado o problema de armazenagem e transporte para os terminais portuários.
>> Conheça o especial SOS Logística
Em busca de alternativa para o escoamento do setor agropecuário, a Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul (Famasul) fará parte da projeto Rota da Integração Latino Americana, uma iniciativa que vai dimensionar a logística de exportação via Oceano Pacífico.
Organizada pelo Sindicato das Empresas de Transporte de Carga e Logística de Mato Grosso do Sul (Setlog-MS), a expedição será formada por 30 caminhonetes com cerca de cem pessoas e percorrerá a partir do dia 27 de setembro os 2,7 mil quilômetros que separam Campo Grande do porto de Iquique, no Chile.
Localizado a 700 quilômetros de La Paz (Bolívia), a cidade de Iquique tem um terminal que responde por boa parte do movimento portuário chileno. O porto está na rota do comércio internacional de produtos agropecuários tais como soja e derivados e fertilizantes, atualmente originários em grande parte da Bolívia. Também é porta de entrada de produtos asiáticos.
A previsão é de que o porto receba investimentos de US$ 350 milhões nos próximos dez anos, tornando-o um dos mais importantes da América do Sul. Também no Chile, a expedição vai passar pelo Terminal Portuário de Arica, outro importante ponto de escoamento de cargas. Os terminais podem ser rota viável para nichos produtivos específicos, avalia o presidente da Famasul, Eduardo Riedel.
– Iquique já é utilizado por empresas do agronegócio. Sabemos que há oportunidades, por isso a análise sobre a viabilidade de escoamento porque a estrutura precisa dar segurança e agilidade à logística – avalia.
O dirigente destaca que, além de estudos técnicos, o comboio tem objetivo de chamar atenção para a necessidade de potencializar alternativas de escoamento.
– Precisamos de alternativas para potencializar o crescimento do Estado –enfatiza.
Roteiro
A expedição Rota da Integração Latino Americana tem paradas estratégicas previstas em Santa Cruz de La Sierra e La Paz (Bolívia), Arica e Iquique (Chile). Em Santa Cruz de La Sierra os participantes visitam a Expocruz, feira voltada para empresas com interesse em exportação e considerada o maior evento multissetorial da América Latina. A previsão de chegada a Iquique é no dia dois de outubro.

*Produtores querem avaliar se porto chileno oferece segurança e agilidade à logística.

Sobre o autor

Deixe uma resposta

*

captcha *