Ração balanceada é 20% mais barata e garante leite melhor, diz Embrapa

Uma pesquisa da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa Pecuária Sudeste) de São Carlos (SP) mostrou que a mudança na dieta do gado melhora a qualidade do leite produzido. A ração que tem menos proteínas é mais balanceada e o gasto para o produtor é 20% menor.

A pesquisa pode ajudar o produtor com a chamada nutrição de precisão. A dieta dos animais é composta por alimentos que são fontes de proteína, como farelo de soja, e fontes de energia, como o milho. Quando a pastagem é de boa qualidade, é possível mudar a ração e economizar.

“Reduzimos na ração concentrada a inclusão do farelo de soja, que é a fonte protéica, e proporcionalmente aumentamos a inclusão de milho, de forma que essa ração ficasse com menor teor de proteína. Como a inclusão do farelo de soja foi reduzida, essa ração também ficou mais barata”, explicou o pesquisador Alexandre Pedroso.

O bom pasto garante a proteína que foi retirada da ração e o pesquisador explicou que o foco não é ganhar aumento de produção. “É manter o desempenho dos animais, alimentando melhor e com uma ração mais barata”, destacou Pedroso.

No sítio do produtor rural Luís Bombarda são produzidos 100 litros de leite por dia. A base da alimentação das vacas é uma mistura de bagaço de laranja torrado, milho e alguns nutrientes. Além disso, elas também consomem o bagaço da cana e o pasto. “Vamos ver se a gente consegue, mas tem que mudar tudo, tem que fazer o que tem que ser feito através dos técnicos”, disse.

Qualidade
A melhor alimentação do gado no campo pode ter reflexos no supermercado. Segundo a pesquisa da Embrapa, o leite deve ficar mais nutritivo e com mais proteínas, o que significa maior qualidade para o consumidor. “A gente que é mãe, que tem bebe em casa, sabe o quanto é bom o leite e a gente tem que escolher bem para dar aos nossos filhos”, afirmou a vigilante Elisângela Pereira.

Os testes já foram concluídos e o produtor interessado em aplicar a técnica no campo deve entrar em contato com a Embrapa. Outras informações pelo telefone (16) 3411-5600.

Sobre o autor

Deixe uma resposta

*

captcha *