Renda agrícola deve atingir recorde de R$ 271 bilhões em 2013

O valor bruto da produção das principais lavouras deve atingir neste ano R$ 271 bilhões, valor 10,2% superior ao registrado no ano passado e recorde desde o início da série histórica do levantamento realizado desde 1989 pela assessoria de gestão estratégica do Ministério da Agricultura. Os destaques em faturamento são soja e tomate. A renda da soja deve crescer 18,3%, para R$ 80,5 bilhões, e a do tomate, 76,2%, para R$ 10,721 bilhões. O estudo mostra que a maior queda (de 21,7%, ou R$ 4,16 bilhões) ocorreu no café, cujo valor da produção é projetado em R$ 15 bilhões. O algodão também apresenta perda significativa de renda (de 30,7%, ou R$ 3,549 milhões), caindo para R$ 8,017 bilhões.

O coordenador de gestão estratégica do Ministério da Agricultura, José Garcia Gasques, comentou que, a exemplo da soja e do tomate, a maioria dos produtos analisados apresentou aumentos expressivos de renda, como a batata-inglesa (+29,3%), feijão (+14,5%), fumo (+15,6%), laranja (+28,8%), milho (+11,9%) e trigo (+18,9%). As altas mais modestas ocorreram no arroz (+6,8%), cana-de-açúcar (+9,7%) e banana (+9,3%).

Gasques observa que o grupo de produtos formado por soja, milho, café, cana-de-açúcar e laranja respondem por 70% do valor da produção agrícola brasileira. Ele lembra que, no caso do milho e da soja, os bons desempenhos se devem às safras recordes e aos preços favoráveis neste ano.

O estudo sobre o valor da produção agrícola regional mostra estabilidade na região Norte (R$ 8,085 bilhões) e aumentos nas demais regiões. O estudo prevê aumento de 13,3% na receita das principais lavouras na região Nordeste (para R$ 30,246 bilhões), com destaque para os aumentos de valor no Ceará, Maranhão, Rio Grande do Norte e Sergipe.

A previsão para a Região Sul é de crescimento de 27,2% na renda agrícola, para R$ 75,1 bilhões, e no Centro-Oeste, de 4%, para R$ 74,4 bilhões, impulsionados pela soja e pelo milho. Gasques comenta que, no caso da região Sul, além do milho e da soja, também se destacam lavouras como batata inglesa e fumo. Na região Sudeste, que volta a liderar o VBP nacional, o aumento esperado é de 13,1%, para R$ 78,7 bilhões. Gasques diz que o bom resultado se deve à cana e à laranja em São Paulo e ao café, cana, milho e soja em Minas Gerais.

Fonte: G1

Sobre o autor

Deixe uma resposta

*

captcha *